Amarante: história, natureza e tradição à volta do rio Tâmega

 

Centro histórico de Amarante com Igreja e Ponte de São Gonçalo sobre o Rio Tâmega


A Norte de Portugal, atravessada pelo rio Tâmega e aconchegada pelas serras do Marão e da Aboboreira, existe uma região onde a história e a cultura abundam. Aqui fica Amarante, detentora de um vasto património, que se convida a conhecer e desfrutar.

Acredita-se que a cidade e o concelho devem a sua origem a povos primitivos que demandaram a Serra da Aboboreira – onde abundam dólmens e outros vestígios arqueológicos -, mas não se descara outra hipótese: a influência de povoados que remontam ao período romano.

Sobre o rio Tâmega, a cidade de Amarante desperta lentamente de manhã e este pode ser o seu ponto de partida para conhecer e descobrir a própria cidade de Amarante. O seu Centro Histórico, e a excelente gastronomia que encontra em diversos pontos – desde os vinhos, aos enchidos, passando pelos doces regionais e conventuais – pode ser apenas o começo.


Varandas sobre o rio Tâmega


Pode igualmente aventurar-se até à serra do Marão ou ao Parque Natural do Alvão e conhecer belas paisagens e a sua natureza, aldeias encaixadas em vales e a vida da populações de montanha. Com um relevo variado, o Parque Natural do Alvão apresenta definidas duas importantes áreas. Uma zona mais alta (que chega aos 1339 m), que abrange a serra do Alvão e o planalto de Lamas de Olo, e uma zona basal (até aos 250 m), onde estão localizadas as povoações de Ermelo e de Fervença que, por sua vez, se interligam com os vales mais profundos por onde corre o rio Olo.

Se pretende aprofundar os seus conhecimentos sobre história, então deverá conhecer as diferentes Rotas do Românico existentes na região – Rota do Tâmega e a do Vale do Sousa. Rotas fundadas nas memórias do Românico, que convidam a uma viagem inspiradora a lugares com História, junto de singulares conjuntos monásticos, igrejas, memoriais, pontes e torres senhoriais, amadurecidos em terra forjada de verde, repleta de saberes e sabores.

Pode ainda terminar o dia fazendo um excelente passeio de bicicleta pela magnífica ciclovia do Vale do Tâmega, percorrendo 21 quilómetros da antiga linha de caminho de ferro que constituem este percurso. Irá deparar-se com as paisagens verdejantes oferecidas pelo Tâmega, pelo vale e pelas suas margens, para além de diverso património edificado da antiga infra-estrutura ferroviária.


A doçaria

Entrar ou simplesmente passar pela montra de uma confeitaria em Amarante é uma grande tentação.




Destacam-se as lérias, as brisas do Tâmega, os papos de anjo ou outros doces conventuais. O mesmo acontece com os doces fálicos (São Gonçalinhos), igualmente muito procurados. Quer seja pela fome, quer pela curiosidade, ceda à tentação em qualquer uma das muitas pastelarias e confeitarias da região. Não se vai arrepender.

Todos os anos, Amarante realiza a Feira dos doces conventuais que tem lugar no mês de maio, nos Claustros da Igreja de São Gonçalo.


https://amarantetourism.com/