Sintra: roteiros para uma escapadinha


Palácio da Pena



Elevada a Paisagem Cultural do Património da Humanidade a 6 de dezembro de 1995, Sintra é um imenso livro aberto cheio de imagens do passado emolduradas numa natureza fascinante.


Serra de Sintra

A serra de Sintra, também conhecida como Monte da Lua, estende-se ao longo de 10 quilómetros, quase até ao Cabo da Roca, esta serra única é composta por densa vegetação, que convida a longas caminhadas. O seu ponto mais elevado é a Cruz Alta, no Parque da Pena, que fica a 528 metros de altitude.

Está integrada no Parque Natural de Sintra-Cascais‎, e é visitada por várias excursões turísticas. Também é muito procurada por praticantes de escalada e montanhismo, já que as escarpas estão, na maioria, orientadas a oeste, o que aumenta o tempo de luz em tardes de verão.

É na serra de Sintra que se localizam: o Castelo dos Mouros, o Palácio da Pena, o Convento dos Capuchos, o Palácio Nacional de Sintra, o Palácio de Monserrate e a Quinta da Regaleira.


Quinta e Palácio da Regaleira



No centro histórico de Sintra, encontramos a Quinta da Regaleira e o seu palácio. São, provavelmente, o local mais enigmático e místico de Sintra. Mandado construir no início do século XX pelo milionário António Carvalho Monteiro (também conhecido por Monteiro dos Milhões), o edifício é um exemplo do estilo romântico revivalista que junta elementos góticos, manuelinos, e renascentistas.

Na quinta, coberta de vegetação luxuriante, encontramos a Capela da Santíssima Trindade e o famoso poço iniciático, com a sua icónica escadaria em espiral.


Foto: Quinta da Regaleira - Poço Iniciático, por Nuno Trindade Photography @Sintra




Parque e Palácio da Pena



O Palácio Nacional da Pena representa uma das melhores expressões do Romantismo do século XIX no mundo. Erguendo-se sobre uma rocha escarpada, é o segundo ponto mais alto da Serra de Sintra.

O Palácio localiza-se na zona oriental do Parque da Pena, que é necessário percorrer para se chegar à íngreme rampa que o Barão de Eschwege construiu para se aceder à edificação acastelada. O Palácio propriamente dito é constituído por duas alas: o antigo convento manuelino da Ordem de São Jerónimo e a ala edificada no século XIX por D. Fernando II. Estas alas estão rodeadas por uma terceira estrutura arquitetónica, em que se fantasia um imaginário castelo de caminhos de ronda com merlões e ameias, torres de vigia, um túnel de acesso e até uma ponte levadiça.

Em 7 de Julho de 2007, foi eleito como uma das sete maravilhas de Portugal.




Sugerimos que consulte os roteiros delineados pelo Município de Sintra: